[Resenha] As vantagens de ser invisível – Stephen Chbosky

Título: As vantagens de ser invisível
Autor: Stephen Chbosky
Editora: Rocco
Edição: 3ª
Ano da edição: 2007
Número de páginas: 223

.

As-Vantagens-de-Ser-Invisível 

 .

Com adaptação para o cinema britânico, As vantagens de ser invisível, me emocionou tremendamente, dando lições pautadas em complexidades adolescentes, problemas familiares e sociais, dos quais todos estamos sujeitos. A fofura e fluidez da escrita permite uma leitura simples e constante. Duzentas e vinte e três páginas voam diante seus olhos, ora sorrindo junto à boca, ora derramando lágrimas de identificação.

Charlie é o menino dos sonhos de qualquer garota- e garoto também- sensível, atencioso, meigo, gentil, educado e, acima de tudo, amigo. Aprendi, lendo, que podemos ser infinitos, que há momentos que nos permite ser, simplesmente.

Ouvir uma música pode definir relações, permitir ser beijado também. Charlie, Sam e Patrick formam o trio desconjuntado da escola, o CDF, a taxada de piranha e o bobão, chamado de nada. A escola pode ser um lugar selvagem, solitário e vazio, ou um lugar alegre, feliz, onde construímos as melhores lembranças de nossas vidas, basta reorganizarmos nossos pensamentos e perspectivas.

E eu, particularmente, consegui visualizar melhor minhas amizades, a partir da leitura deste livro, pois creio que livros devem trazer aprendizados, e como apreendi, desejo que outros leitores famintos também o façam. Sabe, a melancolia não é o gênero textual que mais admiro, porém as pitadas doces mescladas à ela, nesta história reveladora dos maus modernos e dos complexos laços familiares, me fez rever alguns conceitos.

E creio que os livros devem fazer isso, devem nos fazer pensar, não é à toa que Hitler mandou queimar milhões em praça pública na Guerra. Eles trazem algo mágico e irrevogável: o conhecimento.

Portanto, quem tiver dúvida em ler esse livro, não a tenha. Leia. É fantástico como as pequenas ações individuais no fim, conspiram no todo. Somos mais que a soma das pequenas partes… Somos seres heteronômicos em busca do seu devido lugar, seja numa picape ouvindo a música, ou na laje de um hotel, afinal a vida precisa ser sentida, e não passada.

Carpe Diem

.

.

assinatura adler

Anúncios

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s