[Resenha] Os homens que não amavam as mulheres – Stieg Larsson

Título: Os homens que não amavam as mulheres (Série Millennium – volume 1)
Autor: Stieg Larsson
Editora: Companhia das Letras
Edição:
Ano da edição: 2013
Número de páginas: 522
ISBN: 9788535916263

 .

imagem

.

Sinopse:

Os homens que não amavam as mulheres’ é um enigma a portas fechadas – passa-se na vizinhança de uma ilha. Em 1966, Harriet Vanger, jovem herdeira de um império industrial, some sem deixar vestígios. No dia de seu desaparecimento, fechara-se o acesso à ilha onde ela e diversos membros de sua extensa família se encontravam. Desde então, a cada ano, Henrik Vanger, o velho patriarca do clã, recebe uma flor emoldurada – o mesmo presente que Harriet lhe dava, até desaparecer. Ou ser morta. Pois Henrik está convencido de que ela foi assassinada. E que um Vanger a matou.

.

Millenniun

.

            Com 522 páginas mais que envolventes, o primeiro volume da trilogia Millennium, arrebata em diversos fatores importantíssimos: o enredo, a escrita e a personalidade dos personagens. Stieg Larsson, autor desta brilhante história, produziu um enredo fantástico onde o leitor se sente incumbido a desafiar a sua própria lógica e tentar descobrir o que está escrito nas entrelinhas, com um suspense natural e, além disso, encantador.

            A escrita é tão impressionante que a descrição não se torna pesada à la José de Alencar, e sim fluida, contínua, onde os personagens andam em sua mente, o cheiro da comida invade o ambiente – mesmo sem nunca ter comido cordeiro ao molho de vinho – e os dramas pessoas e o thriller tanto físico quanto psicológico é, a grosso modo, surpreendentes.

            As personagens são tão comuns que parecem pertencer a nossa família. Quem não se derreteria por Mykael, ou sentiria, de súbito, pena de Lisbeth. Porém assim como na vida, os mesmos não aparentam ser exatamente o que são, e a história com a qual se veem pertencentes é tão misteriosa e ao mesmo tempo, de primeira, superficial, que página por página, capítulo por capítulo, nos enganamos e nos “reenganamos” com a trama desta obra.

            Obteve milhões de cópias vendidas (o que não necessariamente é um fator que denota sua qualidade!), teve adaptações para o cinema sueco e britânico, tendo, respectivamente, os seguintes títulos: “Os homens que não amavam as mulheres” e “A garota com a tatuagem de dragão: Millennium os homens que não amavam as mulheres”, e sinceramente me surpreendeu até a última frase.

            É de longe uma história que vale ser lida. Que merece ser testemunhada por pessoas que amam suspense como os de Sherlock Holmes, e para os apaixonados por Agatha Christie. A escrita de Stieg Larsson é diferente dessa autora. Ele é um escritor sueco que definitivamente movimentou o cenário do suspense, com um toque jornalístico muito bem explorado.

            #ValeApenaLer

.

.

assinatura adler

Carpe Diem
Anúncios

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s