Sétima arte #12: Essas meninas de Coppola em “As Virgens Suicidas”

a

.

Ficha Técnica:

 
Filme: As Virgens Suicidas
Ano de Lançamento: 1999
Direção de Sofia Coppola
Roteiro de Sofia Coppola, baseado no livro homônimo de Jeffrey Eugenides.
Elenco: James Woods, Kathleen Turner, Kirsten Dunst, Josh Hartnett, A.J. Cook, Danny DeVito, Hayden Christensen.
Duração/Gênero: 97 minutos/ Drama; Romance; Suspense

 

 .

 

Essas meninas de Coppola em  As Virgens Suicidas

 

“As alegres meninas que passam na rua, com suas pastas escolares, às vezes com os seus namorados. As alegres meninas que estão sempre rindo, comentando o besouro que entrou na classe e pousou no vestido da professora; essas meninas; essas coisas sem importância.”

Carlos Drummond de Andrade

 

            Como diria Maria Bethânia: Ê calmaria, melancolia que devora. Sofia Coppola soube, em seu primeiro filme, mimetizar a calmaria d’As virgens, e ao mesmo tempo, olhar para dentro e encontrar a melancolia adolescente das meninas que ainda não descobriram o mundo real, o mundo lá fora. Não bastava apenas o olhar feminino para trazer esse filme à tona, mas sim, um olhar que entendesse as angústias que atravessam os humanos em sua fase mais crítica e nebulosa: a adolescência.  

            Seguem-se vários planos, mostrando a calmaria de um bairro tradicional em um dia comum: uma garota com seu picolé, um senhor rega suas plantas, duas mulheres passeiam com um cachorro, um garoto joga uma bola de basquete no cesto junto com seu pai no jardim. E assim continua. Normal. Calmo. Uma sirene soa longe. E de repente esse som torna-se mais alto e agora o barulho da sirene divide o espaço com o som de uma torneira aberta. E (antes que alguém surte ao ler, não, não é spoiler) o narrador apresenta a caçula das irmãs na banheira, em uma tentativa de suicídio mal sucedida. Imediatamente Cecília é levada ao hospital e, para mim, um dos melhores diálogos do filme acontece já nessa cena. O médico, sem muito entusiasmo e com uma voz cansada, diz: O que você faz aqui, querida? Você nem é velha o suficiente para saber o quanto a vida é difícil. Ao passo que a menina retruca, seca: Claro, doutor. Você nunca foi uma garota de treze anos.

.

b

.

            A narrativa é observada de longe por cinco garotos, que tornam-se obcecados pelas irmãs Lisbon, que são presas pela educação ultraconservadora dos pais, fanáticos religiosos. Meninas na idade de descobrir os (des) prazeres da vida e vivê-los. Esse mundo religioso dos pais e o mundo das meninas andam imbricados durante o filme: a religião dos pais contendo a explosão das meninas. Logo após a segunda tentativa de suicídio de Cecília, desta vez bem sucedida, os pais flexibilizam a proteção com as quatro garotas, mas depois radicalizam na vigilância, e acabaram causando uma tragédia familiar.

            Há pessoas em nossas vidas que tem áureas rodeadas pelo mistério, chegam caladas e incensam o ar com perguntas que nunca serão respondidas. E, normalmente, essas pessoas têm um imã, que atrai e enfeitiça todos ao redor. Seja pela beleza ou pela personalidade. Assim que você consegue decifrar o código dessas pessoas, o mistério acaba, assim como o brilho que se apaga, por que nada mais de interessante há, nem a beleza, que antes instigava, que prendia todos os olhares, hoje nada mais significa. Talvez por medo de decifrar suas meninas, Sofia Coppola não aprofunda tanto na história, e por vezes observa de longe, tanto quantos os garotos fascinados pelas meninas Lisbon.

.

c

.

             Para quem gosta de filme que explora a adolescência por um viés não tão óbvio (tipo, As Vantagens de Ser Invisível), As virgens suicidas que sim, trata de baile, colegial e cidade pequena, não é, nem à primeira vista, um filme teen qualquer. O filme, permite reflexões poéticas e têm uma brisa melancólica para aqueles que um dia já se olharam no espelho procurando por respostas mas não encontraram. O filme de Coppola é o retrato do que acontece quando se prende um mal que não pode ser remediado: a adolescência. 

.

TRAILER DO FILME: 

.

TRILHA SONORA DO FILME: 

 

.

.

assinatura maria

Anúncios

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s