[Resenha] Hamlet – William Shakespeare

Livro: Hamlet
Autor: William Shakespeare
Tradução: Millôr Fernandes
Editora: L&PM
Páginas: 144
Ano: 1997

 .

Hamlet, por Shakespeare

.

 

             William Shakespeare é tido como o maior escritor da língua inglesa e o mais influente dramaturgo do mundo. Dentre suas peças mais famosas está Hamlet, que possui uma das frases mais conhecidas da literatura inglesa: “To be or not to be: that’s the question.”

             Hamlet é o príncipe da Dinamarca, que acabou de perder o pai – supostamente por uma morte repentina – e que não aceita o recente casamento de sua mãe, a rainha Gertrudes, com seu tio Cláudio. Assim acontece a história:

             Em uma noite, os soldados do castelo avistam um fantasma muito parecido com o rei Hamlet que falecera a pouco tempo. Os soldados contam o que viram para Horácio, grande amigo de Hamlet, que não acredita, até o momento que ele também avista o misterioso ser e conclui que parece muito com o rei falecido. Horácio decide contar o fato para Hamlet, visto que seu amigo, anda muito deprimido.

.

“ HORÁCIO: Senhor, acho que o vi ontem de noite.
HAMLET: Viu quem?
HORÁCIO: O rei, seu pai.
HAMLET: Meu pai? O rei?
HORÁCIO: Contenha seu espanto por um instante
E me dê ouvido atento pra que eu lhe conte
O prodígio que vi, testemunhado por meus companheiros.
HAMLET: Pelo amor de Deus, sou todo ouvidos. Fala!
HORÁCIO: Duas noites seguidas,
Marcelo e Bernardo tiveram essa visão,
Quando estavam de guarda na vastidão sepulcral da meia-noite.
Figura igual a seu pai, armada exatamente como ele –
Igual de cima a baixo! – apareceu a eles e,
Com andar majestoso, passou solenemente pelos dois.
Passou três vezes
Por seus olhos esbugalhados de surpresa e medo,
Tão perto que chegou a tocá-los com o cetro.
Enquanto eles, a quem o pavor liquefez em gelatina,
Ficaram mudos, incapazes de emitir uma palavra.
Eles me comunicaram isso em absoluto segredo;
Juntei-me à guarda na terceira noite;
A aparição surgiu na hora e da forma como tinham narrado,
Confirmando e provando cada palavra dita.
Reconheci seu pai: estas mãos não são tão semelhantes.” ( p. 16)

.

             Com a revelação de Horácio, Hamlet decide se juntar aos soldados para avistar o fantasma e confirmar se ele realmente é o seu falecido pai. No horário costumeiro, o espectro aparece e Hamlet decide ir até ele e o questiona: “Tu és Hamlet,/ Meu rei, meu pai, senhor da Dinamarca. Vai, me responde!” (p. 21)  

             E o fantasma diz:

.

“Sou o espírito de teu pai
Condenado, por um certo tempo, a vagar pela noite
E a passar fome no fogo enquanto é dia,
Até que os crimes cometidos em meus tempos de vida
Tenham sido purgados, se transformando em cinza.” (p. 23)

.

             Hamlet fica surpreso e ao mesmo tempo comovido por ver seu pai. O fantasma do rei, nesse momento, revela a Hamlet que foi assassinado pelo seu irmão Claudio:

.

“Então, Hamlet, escuta:
Se divulgou que fui picado por uma serpente
Quando dormia em meu jardim;
Com essa versão mentirosa do meu falecimento
Se engana grosseiramente o ouvido de toda a Dinamarca.
Mas saiba você, meu nobre jovem:
A serpente cuja mordida tirou a vida de teu pai
Agora usa a nossa coroa.” (p. 24)

.

             O fantasma pede à Hamlet que vingue a sua morte, para que sua alma possa ter paz. O príncipe, fica confuso em relação ao que ele viu e questiona se realmente deve ou não vingar a morte de seu pai: “Ser ou não ser – eis a questão” (p.51)

 .

ser ou nao ser

.

             Diante da dúvida, Hamlet decide preparar uma armadilha para o rei. Pede à um grupo de atores, que acabou de chegar na cidade, encenar uma peça teatral, denominada Ratoeira, onde será apresentado um assassinato igual ao que foi narrado pelo fantasma, para que ele possa observar a reação do rei Cláudio.  Quando o tio de Hamlet assiste a apresentação teatral ele rapidamente se dirige para o interior do castelo. Nesse momento Hamlet se convence das palavras do fantasma e prepara a sua vingança.

             Nesta obra de Shakespeare, podemos perceber que as situações que Hamlet vivencia, são semelhantes às que são vividas por todos nós: dúvidas, decepções, inquietações, dentre outras. Talvez seja esse um dos motivos dessa peça ser tão conhecida e apreciada, pois ela proporciona uma grande interação com o leitor/espectador, fazendo-nos refletir a respeito das inquietações e angústias do personagem. Hamlet é um homem comum, com seus erros e acertos, com suas convicções e dúvidas, com suas alegrias e tristezas. Esta é mais uma obra prima de Shakespeare.

Boa leitura!

 .

.

assinatura susane carvalho

Anúncios

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s