[Resenha] Maze Runner: Correr ou Morrer – James Dashner

Título: Maze Runner: Correr ou Morrer
Autor: James Dashner
Editora: V&R
Ano da edição: 2010
Número de páginas: 428
Tradução: Henrique Monteiro

 .

maze-runnner-correr-ou-morrer-1

.

 

Eu não conhecia Maze Runner, nem ao menos sabia que se tratava de uma saga. E, para a minha vergonha, também nunca tinha escutado o nome de James Dashner. Aí fiquei sabendo que o lançamento no Brasil foi em 2010 e fiquei com mais vergonha ainda. Considerando que em 2010 estava cursando o meu mestrado e esses períodos assim nós podemos considerar que são hiatos no tempo já que não fazemos nada além de pensar na dissertação, acho que estou perdoada com o mundo literário pelo meu descuido.

A verdade é que um ex-aluno meu, o Bruno Hagel, que escrevia nesse blog e me abandonou precisou se afastar devido aos diversos compromissos acadêmicos (ah, esses cursos de graduação…), apresentou-me ao livro. Foi difícil achar para vender (agora é mais tranquilo pois o filme estreará nesse ano), tive que encomendá-lo, mas não me arrependo porque eu adorei cada momento da leitura!

.

maze-runner-series3

.

 

Maze Runner: Correr ou Morrer é o primeiro livro de uma saga composta por quatro livros que conta a história de um grupo de garotos, chamados de Clareanos, através da visão do personagem Thomas. O texto inicia com Thomas acordando dentro de um local escuro, uma Caixa e, aparentemente, não lembra coisa alguma sobre o seu passado além do próprio nome. Quando a Caixa chega ao seu destino, Thomas se vê em um lugar estranho, uma sociedade de garotos adolescentes que lutam dia a dia para sobreviver neste local que denominam de Clareira.

.

Maze-Runner-foto-2014

.

A Clareira é um lugar rodeado por enormes paredes de pedras e estas possuem quatro portas no centro. Essas quatro portas abrem-se durante o dia, dando acesso a um imenso Labirinto que circunda a Clareira. Todas as noites, as portas fecham-se para que os garotos fiquem protegidos de criaturas terríveis – os Verdugos – que vivem dentro desse Labirinto.

Como o livro nos mostra as impressões de Thomas, o leitor vai conhecendo junto ao personagem o cotidiano da Clareira. No entanto, ficamos assim como Thomas, cheios de dúvidas pois nada é realmente esclarecido. Todas os questionamentos do protagonista são respondidos de forma vaga, tudo o que realmente sabemos é o modo que eles encontraram para sobreviver: a comunidade possui hierarquias e regras, cada Clareano tem uma função determinada nessa sociedade mas ninguém sabe exatamente como foi parar ali.

No dia seguinte à chegada de Thomas, acontece um fato inusitado: a Caixa traz mais uma pessoa. É inusitado pois até então, a Caixa somente trazia um novato a cada 30 dias e esse padrão vinha se repetindo há dois anos. Além disso, a pessoa dentro da Caixa Metálica não é, dessa vez, um menino, mas uma menina! Essa menina tem um bilhete nas mãos: “Ela é a última.”

.

????????????

.

A partir daí a história fica difícil de ser contada pois o ritmo dos acontecimentos é tão intenso que é quase impossível largar o livro! Eu não conseguia parar de ler, fiquei tão ansiosa para saber a solução para todos os mistérios que a cada revelação eu ficava mais e mais curiosa.

Gostei muito da forma que o autor construiu os personagens. Todos são muito inteligentes e habilidosos, realizando suas tarefas com bastante agilidade e responsabilidade. A obra é narrada em 3ª pessoa, mas nos sentimos mais próximos a Thomas pois é a visão dele que nos é mostrada o tempo inteiro. Descobrimos com Thomas o funcionamento da Clareira, conhecemos os outros personagens e aprendemos muito sobre o Labirinto e os Verdugos. Thomas é um personagem extremamente intuitivo, corajoso e leal aos seus amigos. Ele é um bom exemplo de herói literário, enfrentando os problemas com bravura e sabedoria.

.

the-maze-runner-dylan-obrien-kaya-scodelario-600x399

.

Outros personagens são também muito envolventes e merecem destaque: Chuck, o primeiro amigo de Thomas ao chegar na Clareira, Newt, Minho, Alby, a garota… Desses, os que mais me cativaram foram Chuck e Minho. Chuck é bastante tagarela e engraçado e vira quase que um irmão caçula de Thomas. Minho é um corredor que vira um grande amigo de Thomas depois de um acontecimento importante na história (se eu falar, perde a graça).

Não poderia terminar essa resenha sem falar da linguagem utilizada pelos Clareanos. O autor foi muito criativo pois os termos são muito engraçados e unem os meninos, criam uma identidade. Algumas expressões recorrentes como “cara de mértila”, “monte de plong”, “fedelho” divertem o leitor e o aproxima dos personagens do livro.

Eu li esse livro em março (só estou escrevendo a resenha agora… credo), já li o segundo da série e estou começando o terceiro. É viciante!

Já existe adaptação cinematográfica do primeiro livro, com estreia marcada em setembro desse ano.

.

.

Ana Karina Silva

Anúncios

4 thoughts on “[Resenha] Maze Runner: Correr ou Morrer – James Dashner

  1. Ana!
    Também não conhecia o livro e a série.
    Gostaria muito de poder acompanhar a saga dos clareanos e saber o que está por trás da chegada dos novos e porque a última foi uma menina.
    Muito boa sua resenha.
    Obrigada por visitar o blog!
    Bom final de semana!!
    cheirinhos
    Rudy

    “Tarde demais o conheci, por fim; cedo demais, sem conhecê-lo, amei-o.”(William Shakespeare)
    MTE- GRUPO DO FACE

    Curtir

  2. Oi Ana, confesso que também não conhecia a série. Apesar de sempre vê-los na livraria, ainda não comprei porque os preços fogem um pouco do padrão, rs. Mas depois da sua resenha fiquei BEM CURIOSA para ler. Já vi muitas pessoas indicando, mas nunca tinha parado realmente para ler a resenha do livro. Agora eu quero HAHAHAH

    Parabéns pela resenha e pelo blog! Por favor, não deixe de postar as outras resenhas da série ok?! :p

    Beijos, Rob
    http://estantedarob.blogspot.com.br/

    Curtir

  3. Oi Ana, eu conheci essa série não faz muito tempo e fiquei louca para ler, me interessei pela premissa bem diferente e também sabia dessa linguagem que o autor criou, e achei bem interessante.

    Realmente teve uma época que o livro estava bem difícil para encontrar, além de ser meio caro, mas vale a pena. Estou com o primeiro emprestado aqui para ler, se eu gostar talvez eu compre o box, que está bem bonito.

    Adorei sua resenha e estou mega ansiosa para ler e quero muito assistir ao filme.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima
    http://vamosfalarlivros.blogspot.com.br/

    Curtir

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s